Funções do colágeno no corpo humano

O colágeno é para os tecidos do corpo humano, o que barras de aço são para o concreto armado. Se as hastes de aço do quadro são fracas, toda a estrutura enfraquece.

Mais de vinte tipos de colágeno são encontrados nos tecidos do corpo. Dependendo dos diferentes tipos de colágeno, encontraremos uma variação nas sequências de aminoácidos.

Vamos examinar os tipos de colágeno I a V, que representam 99% de todo o colágeno encontrado em nosso corpo.

Eles estão presentes em nosso corpo da seguinte forma: 

  • Tipo I Ossos, tendões, ligamentos e pele
  • tipo II Cartilagens e estrutura dos olhos
  • Tipo III Fígado, pulmões e artérias
  • tipo IV Rins e vários órgãos internos
  • Tipo V Superfície de células, cabelo e placenta

O colágeno é produzido por células especializadas chamadas fibroblastos, e é reunido nos tecidos conjuntivos. O papel biológico do colágeno tem dupla função. Por um lado, juntamente com a elastina e as glicoproteínas, é responsável pela coesão dos tecidos e órgãos. Por outro lado, o colágeno confere a esses tecidos e órgãos propriedades de hidratação, resistência, elasticidade e flexibilidade.

Com relação aos tecidos conjuntivos, eles formam uma trama rica em colágeno, encontrada praticamente em todas as partes do corpo. Eles servem principalmente como suporte, enchimento, juntas, isolamento, proteção ou transporte, no caso do sistema sanguíneo. Sem essa matriz de tecido conjuntivo rica em colágeno, que age como uma espécie de cola que mantém o corpo unido, seríamos “líquidos”.

O envelhecimento e o estilo de vida afetam diretamente vários processos metabólicos, como a capacidade do nosso corpo de sintetizar novas proteínas, incluindo o colágeno. De acordo com o Centro de Nutrição e Ciência Alimentar da Universidade de McGill, no Canadá, nosso corpo tem que compensar completamente com alimentos os aminoácidos essenciais, quando se torna incapaz de sintetizar novas proteínas. Além disso, se o nosso corpo está sob estresse, devido a lesões ou problemas degenerativos relacionados ao envelhecimento, ele precisa de ainda mais aminoácidos do que o normal.

Os efeitos do envelhecimento, incluindo uma diminuição na síntese de proteínas de colágeno, aparecem quando somos muito jovens. Se analisarmos os estudos disponíveis, essa diminuição começa aos 30 anos, em uma média de 1% ao ano. Esse fenômeno cria, em todos os nossos tecidos e órgãos, uma redução de funções e uma perda de resistência, elasticidade e flexibilidade. Isso gera, a curto ou médio prazo, uma série de reações que, para a maioria de nós, surgem na seguinte forma:

  • Linha finas e rugas
  • Falta de tônus
  • Dor muscular
  • Rigidez articular e muscular
  • Cura mais lenta de feridas
  • Fadiga mais frequente

Aos trinta e poucos anos, a maioria de nós nem percebe esses desconfortos, pois não temos grandes problemas de saúde e não sentimos fortes dores.

Mais tarde, à medida em que o colágeno no nosso corpo diminui, veremos que esses problemas são apenas a ponta do iceberg; em conjunto com o envelhecimento, terão efeitos diretos sobre a nossa saúde e qualidade de vida.